Leituras...

Os últimos tempos têm sido bons em termos de leitura. Finalmente, consegui ultrapassar o marasmo instalado, em que pegava num livro para, 50 páginas depois, o pôr de lado. Como seria de esperar, aproveitei a ida a Paris para "actualizar" a biblioteca, por assim dizer (e que saudades dos tempos em Montpellier, com tantos livros e CDs baratinhos....).
Um dos livros que trouxe de lá foi o último do Nick Hornby, que eu nem sequer sabia que tinha saído. No entanto, acho que ainda não há tradução para português. O livro chama-se "Slam", que funciona como um trocadilho com o nome da personagem principal, Sam, um rapaz de 16 anos que se vê a braços com uma paternidade precoce. Tem um sentido de humor apurado, como é costume nos livros de Hornby, se bem que há qualquer coisa que me desilude... não sei bem o quê... De qualquer forma, é um livro divertido, interessante, e de leitura escorreita, que se lê num ápice e com prazer.



O outro livro que andei a ler antes desse foi um livro de contos de Paul Bowles (para não variar...), chamado "A missa do galo". O livro reúne uma colecção de contos sobre a tradição e rotina marroquinas - suponho que alguns se baseiem em histórias que autor foi ouvindo e recolhendo ao longo dos anos que viveu em Marrocos, se bem me lembro da sua biografia... Os contos estão bem escritos, e há alguns que chegam a ter a profundidade de uma verdadeira história, mas, outros, são demasiado curtos e superficiais para deixar uma impressão no leitor.



No entanto, a ida a Paris serviu (entre outras coisas...) para comprar um par de livros deste mesmo senhor, coisa que raramente se vê por cá, principalmente quando se trata das versões originais em inglês. Mas esses, por agora, ainda vão ter que esperar. Para já, estão na prateleira lá em casa.

2 comentários:

ML disse...

O Slam já saíu há uns tempos... Andei a namorá-lo na Fnac enquanto soltava palavras pouco dignas de serem reproduzidas por só existir na versão hard-cover (capa que normalmente se traduz também num hard-price...). Há coisa de 1 semana e tal encontrei a versão de bolso e comprei, mas ainda não li. Não sei se já leste o "A Long way down", mas para mim é o melhor do Hornby - Alta Fidelidade à parte, porque para estes lados tem estatuto de clássico.
Anyway, fica a sugestão ;)

irRita disse...

Pois, se calhar nunca falámos sobre isso antes, mas o Nick é um dos meus autores favoritos, dentro do género, e tenho quase todos os livros dele. O "A long way down" roça o brilhantismo, mas não há nada como o "High Fidelity"! Um marco de vida! ;)